Assédio Moral no Trabalho: saiba como se defender

postado em: Notícias | 0

Algumas situações no ambiente de trabalho podem ser enquadradas como assédio moral e podem gerar reclamações de direitos na Justiça, revisão de condutas de empresas e de gestões no serviço público, além de outras ações com foco em eliminar essa violência do local de trabalho.

• Retirar a autonomia do trabalhador ou contestar, a todo o momento, suas decisões;
• Sobrecarregar o trabalhador ou retirar o trabalho de sua responsabilidade como objetivo de provocar a sensação de inutilidade e incompetência;
• Ignorar a presença do trabalhador, dirigindo-se apenas aos demais colegas
• Obrigar a cumprir tarefas humilhantes;
• Gritar, xingar ou falar de forma desrespeitosa;
• Espalhar rumores ou boatos ofensivos sobre a pessoa;
• Ignorar problemas de saúde;
• Criticar a vida particular da vítima;
• Atribuir apelidos pejorativos;
• Impor punições vexatórias, como dancinhas;
• Expor e enviar mensagens depreciativas em grupos de trabalho e nas redes sociais;
• Isolar fisicamente o trabalhador para que não haja comunicação com os demais colegas;
• Desconsiderar, ironizar, desacreditar injustificadamente as opiniões do trabalhador;
• Impor condições e regras de trabalho personalizadas, de caráter humilhante e diferentes das atribuídas aos demais;
• Delegar tarefas impossíveis e prazos incompatíveis para finalização de um trabalho;
• Manipular informações, deixando de repassá-las com a devida antecedência necessária para que o trabalhador realize suas atividades;
• Vigilância excessiva;
• Limitar o número de vezes que o trabalhador vai ao banheiro e monitorar o tempo que lá ele permanece;
• Advertir arbitrariamente;
• Incentivar o controle de um trabalhador por outro, criando um controle fora do contexto da estrutura hierárquica, para gerar desconfiança e evitar a solidariedade entre colegas.

O que fazer?
Se você se reconhece como vítima de alguma situação de assédio, o primeiro passo é buscar orientação jurídica. O melhor caminho para isso é procurar o sindicato de sua categoria.

Fonte: CNN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + dezenove =