SINTERC fortalece luta em visitas à Ponta Grossa e Carambeí

postado em: Notícias | 0

Com o claro objetivo de fortalecer os (as) trabalhadores (as) ligadas ao segmento de refeições coletivas, o SINTERC, como seu representante,  realiza ações periódicas por diversas empresas de todo Paraná, tirando dúvidas, esclarecendo direitos e mostrando as ações do Sindicato para impulsionar a categoria.

 

A última viagem aconteceu entre os dias 26 de junho e 1º de julho, em restaurantes industriais de unidades gerenciadas pela GR SA nas cidades de Ponta Grossa e Carambeí. Foram visitadas as empresas Continental, Tetra Pak, BRF, Cargill e Kurashiki. As reuniões foram realizadas pelo diretor secretário do SINTERC, Rodrigo Lino, em diferentes turnos, alcançando mais de 60 trabalhadoras.

 

O diretor explica que o principal motivo das visitas foi explicar a negociação referente ao vale alimentação. De acordo com a CCT/2016 vigente, a apresentação de apenas um atestado médico, salvo as previstas no artigo 473 da CLT, já gera a perda completa do benefício ao trabalhador. Vale lembrar que a Nutriest conseguiu uma flexibilização desta cláusula recentemente graças a intervenção do SINTERC, com assembleia e votação das trabalhadoras. “O SINTERC está do lado das trabalhadoras e mostrei que é a partir da mobilização delas é que podemos mudar algumas situações. Em relação a GR SA, como aconteceu com a Nutriest, vamos propor uma negociação para flexibilizar essa questão até dezembro, quando começa a próxima negociação”, explica Rodrigo.

 

Seguindo a mesma linha, a diretora presidente, Dóris Andrade da Cruz, adianta: “Em dezembro, haverá a negociação coletiva para os reajustes do ano de 2017 e nós iremos propor a retirada da clausula de perda de 100% do vale alimentação quando apresentado atestado. No entanto, para isto acontecer é de extrema importância a participação dos (as) trabalhadores (as) nas assembléias promovidas pelo Sindicato, uma vez que não assinamos nada sem passar por assembléia”.

 

Durante as visitas, o diretor do SINTERC também descobriu algumas irregularidades da empresa que foram relatadas pelos (as) trabalhadores (as), como a prática do banco de horas sem Acordo Coletivo de Trabalho, para implementação de Banco de horas deve-se seguir obrigatoriamente a CCT clausula trigésima sétima e art. 59 da CLT, convênio médico com consultas cobradas acima do permitido (o valor máximo para desconto de mensalidade até 2 pisos é de R$ 25,00 e consulta para todas as faixas salariais é de R$ 20,00), desvio de função (contratada como auxiliar cozinha e fazendo atividade de cozinheira), entre outras. “São ações que ferem diversos direitos das trabalhadoras. Vamos entrar em contato com a empresa para tomar as medidas cabíveis”, salienta o diretor.

 

De forma geral, Rodrigo avaliou as visitas de forma extremamente positiva. “Ao longo do bate papo, elas se mostraram muito receptivas. Mostrei a todos (as) que o SINTERC está junto com elas não apenas para brigar por melhores salários e benefícios, mas garantir direitos em todas as frentes. Elas precisam se manifestar para lutarmos por elas. Vamos sempre defender o direito dos (as) nossos (as) trabalhadores (as)!”.

 

Visita à Sodexo

Além das visitas às unidades da GR SA, o diretor secretário, Rodrigo Lino, também se reuniu com a auxiliar administrativa do SINTERC alocada em Ponta Grossa, Simoni Ferreira Antunes de Lima. A ideia da reunião foi entender demandas, dificuldades da funcionária para melhor atender os (as) trabalhadores (as), trocar experiências e auxiliar em questões de dúvidas, fortalecendo assim, o Sindicato na região. “Trocamos ideias e trouxe para nossa sede diversas sugestões que podem ser acatadas pela diretoria”. Os dois ainda visitaram a Crown, unidade gerenciada pelo Sodexo, para esclarecer dúvidas das trabalhadoras.

Texto: Comunicação Sinterc/Victor Lopes MTB 8174/PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − três =